quinta-feira, 7 de maio de 2009

Jayne Mansfield


[texto eliminado; shame on me]

6 comentários:

  1. entao apostata? já estou a sentir falta da tua crueza. é que pelo menos escreves bem, és inteligente, e sempre vou aprendendo um pouco. quando voltas à blogosfera?

    cumprimentos
    h.

    ResponderEliminar
  2. Caro Elmo, muito me apraz voltar a encontrar-te por aqui. E juro que não estou a ser irónico.
    Como bem percebeste, a minha pretensa truculência e apostasia é mais fogo-de-vista que outra coisa. Além disso, bem sei que sabes que aqui não se aprende nada. Não sei é se tu sabes que eu sei :) Apesar de tudo, e sobretudo por isso, esta estranha vida bloguística é uma tentativa igualmente estranha de ir rumando contra o tédio dos dias, numa pseudo-afirmação existencial. Do tipo: blogo logo existo? Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  3. Caro Apóstata, entendo-te prefeitamente quanto às tuas referidas razões.
    Contradigo-te apenas no que diz respeito à aprendizagem.
    Julgo que, para quem saiba menos ;)..., há sempre o que aprender com a sabedoria alheia, ou simplesmente lendo quem se exprime muito bem. Também, sempre, com os mundos fantásticos dos outros.

    Tenho uma pulguinha owerlliana atrás da orelha a matutar por mim sobre qual a formação de base para tão interessante escrita. A pulguinha que continue a matutar...;)

    Boa continuação do teu blog.
    H.

    ResponderEliminar
  4. Nisso tens razão. Aprendemos sempre qualquer coisa, mesmo nos sítios mais insuspeitos. A individualidade e o fantástico andam de mãos dadas. Aprofundar os mistérios do 'outro' é também aprofundar os nossos.

    ResponderEliminar
  5. ooh... este afinal foi o que depois da irritação, me deixou a sorrir.
    este junto com o facto de teres retirado o filtro aos comentários disposto a receber todos os mal educados (estou a apontar o dedo a mim, ehehe)que por aqui passássem.

    ResponderEliminar